MULHER MATA VIZINHA A FACADAS POR VAGA DE EMPREGO

POR VAGA DE EMPREGO MULHER MATA VIZINHA 


Este poderia ser um post sobre a violência cotidiana da sociedade como em uma página policial, porém estamos em um blog que trata apenas sobre questões sociais no sentido social da palavra, apesar de sabermos que a segurança pública faz parte do contexto das questões sociais. Dito isso, resolvi adotar este título para comentar este post relacionado à tragédia cotidiana das mazelas sociais capitalistas.

No portal de notícias globo.com, uma reportagem me chamou a atenção entre tantas outras postadas por hora nessa página, relacionado a uma mulher assassinada por vaga de emprego. Não me lembro ao longo da minha vida ter visto uma notícia como essa, mesmo na crise do governo anterior. Hoje, mesmo depois de tudo que o governo atual publica e se vangloria de ter melhorado, - como por exemplo, a diminuição no desemprego com a sua política-, infelizmente essa notícia foi divulgada como um contraste. 

Não foi apenas pelo fato de dividirem uma fila, estarem em uma mesma entrevista, etc., mas o que gerou esse incidente foi a intolerância de um ser humano não aceitar estar desempregado ao passo que um vizinho tenha conseguido a sua tão sonhada vaga desejada. Isso gerou ódio, revolta, raiva, descontentamento, inveja, enfim, tudo que de negativo um ser humano poderia sentir por outro ao ponto de chegar às vias de fato e acontecer um assassinato. 


Será que toda essa revolta teria que ser direcionada a pobre moça assassinada? Ou será que as pessoas estão tão cegas que não conseguem enxergar de onde parte o problema e quem realmente merece o título de culpado? São essas coisas cotidianas que a população não consegue enxergar além do que vêem, pois transcende o que aparenta ser. Claro que a culpa da assassina está desempregada e não ter conseguido a vaga tão desejada não foi apenas de sua incompetência ou da sua concorrente, mas da política adotada dos políticos ilegítimos que seguem enganando a classe trabalhadora desse país e o pior de tudo que estamos enfrentando uns aos outros e deixando os verdadeiros culpados de fora de nossas raiva, ódio e frustrações e à vontade para continuarem a cometer tantas atrocidades e não levarem a culpa por isso.


Enfim, a culpa recai sempre no mais próximo, em quem eu posso enxergar, visualizar e despejar toda a minha raiva e desespero pelo meu fracasso. 

Clique AQUI  e veja a reportagem completa do globo.com sobre essa matéria ao qual me refiro: " MULHER MATA VIZINHA A FACADAS POR VAGA DE EMPREGO".





Por: Ivanildo Miranda  

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE